Uma história de estresse versus atitude

carecaHoje recebi um e-mail muito oportuno de um aluno, pois como tudo o que acontece em nossas vidas, nada é por acaso.

Eu havia terminado um texto a respeito do estresse e finalizei a ultima frase com a palavra “atitude”.

Quando abri o referido e-mail, havia um trecho com uma curta história a respeito de positivismo e atitude. Não havia informações quanto ao autor do texto, mas sem dúvida traduz a palavra atitude com maestria e vou contá-la agora para vocês:

Um homem que estava ficando completamente calvo, um dia acordou pela manhã, olhou no espelho e percebeu que tinham lhe restado apenas três fios de cabelo no alto da cabeça.

Bom – ele disse – acho que vou colocar um gel e pentear meus cabelos para trás hoje. Assim fez e teve um dia maravilhoso!

No dia seguinte, ele acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios no alto da cabeça.

Humm… – disse ele – acho que vou repartir meus cabelos no meio hoje. Assim fez, e teve um dia magnífico!

No dia seguinte ele acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo no alto da cabeça.

Bem – ele disse – hoje vou jogar meu cabelo para a direita. Assim fez, e teve um dia divertido!

No dia seguinte ele acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo no alto da cabeça.

Beleza! – exclamou – não tenho que pentear meus cabelos hoje!

E assim, teve mais um dia feliz!

ATITUDE POSITIVA É TUDO!

Claro que essa pequena história exagera situações, mas ilustra perfeitamente a forma de encarar os eventos quando se trata de uma pessoa que toma atitudes positivas diante do inevitável.

O estresse é uma consequência na vida de quem tenta controlar inutilmente o inevitável e por isso, sofre a pressão constante da frustração em sua vida.

O estresse não é propriamente uma doença, e sim, um estado do organismo quando submetido ao esforço e à tensão. Numa situação estressante, o corpo sofre reações químicas normais que preparam o organismo para enfrentar a situação. O prejuízo, entretanto, acontece quando as situações estressantes são contínuas e o organismo começa a sofrer com as constantes reações químicas que se sucedem, sem que haja tempo para a eliminação dessas substâncias e sem o tempo necessário para o descanso e recuperação física e emocional.

Exatamente por não ser uma doença propriamente, os sintomas do estresse são indefinidos e ao mesmo tempo abrangentes. Podem ir desde uma dor de cabeça, distúrbios do sono, irritabilidade, cansaço, dificuldade de concentração ou tensão muscular, a dificuldades respiratórias, dificuldade de memória, problemas digestivos, pressão alta, problemas cardíacos, e até mesmo distúrbios psíquicos como síndromes, depressão e pânico.

Entre as inúmeras causas emocionais do estresse no ambiente de trabalho e na vida pessoal, podemos citar basicamente três principais: Alto padrão de exigência pessoal, medo e frustração.

O tipo de vida que nos autoimpomos, onde pensamos ser necessário obter muito mais recursos financeiros do que realmente necessitamos, nos exige mais esforço para cumprir o padrão estabelecido e nos coloca diante de conflitos na vida profissional, onde há cada vez mais competição e menos espaço.

Esse mesmo alto padrão profissional é estabelecido também para diversos setores de nossas vidas, pois existem padrões estéticos onde a beleza física é um padrão irreal, que existe apenas nas revistas e passarelas.

Existem também inúmeros padrões para os comportamentos, pensamentos e sentimentos, onde são estabelecidos padrões para o desempenho ideal dos pais com os filhos, de filhos com os pais, padrões para as amizades, para os relacionamentos amorosos, enfim, temos padrões e caixinhas fechadas em todos os setores de nossas vidas, onde nos obrigamos a nos encaixar de uma forma ou de outra.

Tente ao menos pensar a respeito, sentir se você realmente concorda e aceita entrar e viver dentro dessas caixinhas apertadas?

Procure investigar a verdade de seus sentimentos e desejos!

É realmente impossível viver sem o carro do ano? Você trabalha no que realmente gosta e tem talento? Você não acha que pode ser amado pelo que é em vez de ser amado pela sua aparência? Quem é você? No que deixou os padrões transformarem a sua vida?

Não adianta reclamar que o patrão, a empresa, a esposa, os filhos, o marido, não conseguem te enxergar, se na verdade nem você mesmo se conhece o suficiente para mostrar a eles quem é!

Pare! Dê um tempo para se descobrir e perceber que pessoa maravilhosa você é!

Autoconhecimento. Não há como viver feliz e realizado sem ele, pois não há como você viver sem que conheça quem está realmente vivendo a vida que diz ser sua! Quem vive sua vida? Você ou um padrão, um personagem?

Estamos todos diante do enigma da grande esfinge: Decifre-me ou eu te devorarei!

E a esfinge, somos nós!

A esfinge é você!

Decifre a si mesmo, ou poderá ser devorado pelo personagem que criou sem perceber!

Você não acha que merece?

Pois saiba que só existe uma cura para o estresse: Atitude positiva e verdadeira!

Não adianta que a medicina esteja avançada e preparada para lidar com os distúrbios ligados ao estresse, não adianta se o Instituto Ráshuah trabalha também nesse sentido desde a sua fundação, pois o início e o fim de tudo isso, repousa e depende de sua atitude.

Tenha uma atitude mais positiva em relação a si e a sua vida!

Pare de exigir tanto de você e dos outros!
Procure relaxar e brincar mais com os eventos inevitáveis, a exemplo do homem de nossa história!

Aprenda a relaxar para aprender como lidar com o estresse, pois o mundo pode não mudar, mas sua atitude perante o mundo pode mudar e muito!

Fique em paz, no amor e na divina perfeição que somos todos nós!

Com muito carinho,

Vera Calvet
 
Mais textos em: http://www.rashuah.com.br/textos_de_autoconhecimento.html
Esse assunto é amplamente discutido no livro que vem acompanhado de um cd de relaxamento narrado – Estresse no trabalho e na vida pessoal – que você encontra na página:  Livros e CDs Ráshuah

.

 

Crise financeira

Obter dinheiro para manter a vida. Esse, sem dúvida, é um dos fatores que mais preocupam e nos causam estresse. Afinal, sem essa “coisa que inventamos”, a tal da moeda para trocar em bens e sustento, morreríamos de fome, doentes e ao relento.

Sem que percebêssemos, adotamos um padrão social que nos exige muito e temos dificuldades para manter. Tendo que viver em uma sociedade que nos exige tanto e que tão pouco nos dá em troca, tentamos manter esse status, ao mesmo tempo que percebemos o quanto é um padrão injusto, egoísta, separatista, destrutivo, tenso, inviável e que desperta o pior em nós.

Vivendo assim, divididos entre o que pensamos ter que fazer versus o quanto odiamos isso, estamos sempre nos colocando na posição de vítimas. Vítimas de um sistema do qual não vemos saída. E é essa a entrada para um poço profundo de frustrações e falta de poder. Estamos presos em um círculo vicioso, sofrendo a doença da vitima frustrada e sem poder que se chama: Medo!

É possível que neste exato momento em que você lê essas linhas, esteja em um mau momento financeiro, e tudo o que quer é uma forma de sair disso. E aposto que você não gostaria muito de ler agora, algo a respeito do quanto sua mente pode reverter essa situação ao voltar-se para pensamentos mais positivos. Tudo o que deseja é uma boa ideia imediata para sair dessa situação. Depois, até poderia tentar pensar mais positivo, não é mesmo?

Então vamos tentar organizar as coisas!

Uma boa forma de tratar de momentos onde nos sentimos sem poder para lidar com dívidas é a seguinte:

1) Vamos por partes! Vamos esquartejar o problema, pois o que o torna monstruoso, é nossa forma de vê-lo como um todo. Isso nos dá medo!

Por exemplo: Olhamos para nossas dívidas, fazemos as contas e enxergamos uma cifra ENORME! Uma cifra que tem um grande poder! Porém, se separarmos as dívidas uma a uma, por datas de vencimento, por exemplo, veremos que na verdade temos quantias muito menores por ordem de prioridade. Faça uma lista com os valores ao lado. Não pense apenas a respeito, olhando as contas sobre a mesa! ESCREVA! Isso nos dá mais confiança e poder, e acima de tudo, ORDEM nos pensamentos.

2) Escolha-as por datas mais urgentes ou por valores menores em primeiro lugar.

3) Foque sua atenção total na que estiver no topo da lista e ESQUEÇA as outras momentaneamente, pois lembrar de todas juntas é o que nos faz sentir medo e falta de poder para solucionar.

4) Trabalhe na solução exclusiva da que escolheu e resolva-a, atento apenas para não deixar passarem os prazos das outras.

Uma por uma, conforme as organiza, vá dizendo firmemente: Chegou sua vez de ser liquidada! Vou resolvê-la AGORA!

5) Fique atento às respostas e soluções que a vida poderá lhe enviar, tipo um sinal, um telefonema, uma solução que não havia pensado antes, etc. Não se feche nas antigas formas de resolver suas questões. Abra-se para novas soluções, possibilidades e ajuda.

6) Assim que conseguir a quantia necessária para liquidar a conta que está no topo de sua lista, LIQUIDE-A! Não mude de ideia e pague outra ou vacile! Aquele dinheiro foi direcionado para aquela conta específica! Acabe com ela e aí sim, passe para outra!

Após a crise e o estresse terem diminuído, considere começar a rever suas necessidades, sua forma de consumir, enfim, reveja os ônus x os bônus de sua situação de vida. Quais são as verdadeiras prioridades e o que é de fato real e importante em sua vida!

O mais importante nesse processo de sair da crise, será manter seu foco de atenção positivamente e sem tensões. Difícil? Claro, pois há anos você cria tensões e medo ao lidar com dinheiro! Normal que não seja tão fácil relaxar e focar sua atenção. Mas É TOTALMENTE POSSÍVEL! Foque em uma questão de cada vez, que vai ver o quanto é possível! E verá também, que como mágica, parece que as portas vão se abrindo, as soluções vão surgindo, e ajuda de lugares inimagináveis começam a surgir. Confie, pois ninguém passa por uma situação, que não possa resolver!

Você é quem manipula a energia do dinheiro! O dinheiro é uma energia que faz parte desse mundo, como outra energia qualquer! Não dê a ela mais importância do que possa ter! Não é o dinheiro que te manipula! É você quem tem esse poder! O dinheiro é o objeto! Você é o sujeito!

E agora sim, vamos falar a respeito de pensamentos mais positivos!

Observe que nossas ações são consequências de nossos pensamentos aliados a sentimentos que podem ser positivos ou negativos, dependendo do quanto nos autoconhecemos.

Tudo inicia com um pensamento e termina em uma atitude. Mas entre eles, pensamento e ação, existe algo que pode nos conturbar e nos fazer agir negativamente – são as emoções.

No caso de uma crise financeira, observe se lá no fundo de sua mente existe um pensamento de que algo sempre sairá errado, que não depende de você, que “os outros” têm poder e não você, ou que você não merece, não pode ou não consegue ser próspero? Esses são seus vilões – Sua crenças!

Assim que notar que esses pensamentos estão em ação, faça o pensamento contrário e diga – “Estou seguro e só atraio o melhor em minha vida! Tudo se resolverá, pois me mantenho calmo, alerta e assertivo em minhas ações!”

Faça dessa frase o seu mantra! Vigie seus pensamentos, pois são eles quem decretam como será sua vida!

Um grande abraço e força, pois eu creio em você e sei que pode!

Com muito carinho,

Vera Calvet