Ai que raiva!!!

frustadaQuem diz não senti-la, que atire a primeira pedra e corra para fazer uma terapia de autoconhecimento, pois está suprimindo emoções, perigosamente!

Fingir que estamos frios quando na verdade existe um vulcão interior, pode ser muito perigoso. Pois certamente vamos explodir mais tarde, em uma ocasião completamente diferente e com pessoas inocentes!

Mas a permissividade na expressão desse sentimento também não é nada positiva! Nem oito, nem oitenta! Quem diz que prefere explodir com alguém do que guardar a raiva, está enxergando apenas os dois extremos. Pois vê apenas duas péssimas opções: Guardar e engolir a raiva ou explodir impulsivamente!

Existiria uma outra opção mais saudável e positiva? Penso que sim e te convido a pensar a respeito.

De fato, a raiva pode ser um sentimento avassalador que pode destruir relacionamentos.

Mas é também um sentimento de alerta, que quando bem trabalhado e compreendido, pode nos dar indicações importantes a respeito de uma situação e de nós mesmos.

Vamos observar a dinâmica desse sentimento, através de um dos personagens de meus livros: O Durval

Durval é uma pessoa igual a tantas outras que lida com sua vida e seus sentimentos da melhor forma que pode, buscando o que supõe necessitar para viver feliz. Procura agir dentro de seus mais altos princípios, mas em alguns momentos, mesmo não gostando de reagir desse modo, algo incontrolável ocorre em seus sentimentos e Durval perde a cabeça e ferve de raiva!

Algumas vezes ele até consegue se controlar e evitar a explosão, mas isso acaba fazendo com que se sinta mal durante muito tempo, se cobrando que deveria ter feito isso ou aquilo, deveria ter dito isso ou aquilo.
Durval passa, às vezes, dias seguidos remoendo os pensamentos, como que ensaiando como deverá agir na próxima vez em que aquele fato ocorrer. A tal próxima vez chega, e ele esquece todos os ensaios anteriores repetindo o mesmo tipo de conduta emocional explosiva.

As explosões de Durval colocam em risco os seus relacionamentos. Muitos amigos já se afastaram, pois não suportam viver ao lado de alguém que mais parece uma bomba relógio, pronta para explodir a qualquer momento. As explosões de Durval fazem com que todos se sintam muito constrangidos!
E se tentarem pedir calma, ele se irrita mais e faz longos discursos a favor da sua razão de estar tão indignado!

Na verdade, Durval não gosta de ser assim! Ele tem medo de que um dia desses seu coração estoure, pois quando é acometido por um ataque de raiva, tem taquicardia, sua pressão sanguínea sobe e sua respiração fica ofegante. Porém, antes que consiga raciocinar, já explodiu!

Depois, Durval sente muita vergonha de ter se comportado dessa forma. E às vezes não há sequer como ele tentar pedir desculpas e ser perdoado, devido à gravidade de suas atitudes. Durval quer mudar, mas não sabe como!

Essa história emocional de Durval é muito comum, não é mesmo? Certamente você conhece quem se encaixe nesse perfil.

Como mencionei no início, existe uma terceira opção mais positiva do que engolir a raiva ou explodir.

A primeira coisa que precisamos fazer ao ficarmos frente a frente com algum sentimento incômodo, seja ele qual for, é admiti-lo. Precisamos admitir o que estamos sentindo, sem tentarmos minimizar o sentimento.

Dizer para nós mesmos o que estamos sentindo de verdade pode ser extremamente simples, aparentemente. Mas seria de fato real a nossa avaliação do que estamos sentindo?

Muitas vezes, nossa percepção da realidade, do que de fato sentimos estará mascarada, pois podemos estar escondendo de nós mesmos um sentimento que não aprovamos, que não queremos ver por achá-lo mau, indigno ou até mesmo perverso.

De todas as emoções, talvez a raiva seja a mais difícil de ser controlada! Isso porque é uma emoção aparentemente repentina, imprevisível e que nos pega de assalto.

Essa conturbada emoção funciona como um alarme, um alerta de que algo externo nos põe supostamente em perigo, seja esse perigo real ou apenas imaginário.

A raiva é um tipo determinado de reação que nos avisa de que algo em nossas expectativas foi frustrado.

Raiva é frustração!

A raiva pode ser uma reação de alarme e autopreservação, que pode nos servir para mostrar que algo não está exatamente como prevíamos, e que precisamos assumir alguma postura de lutar ou fugir de algum perigo físico eminente.

Pode ser, também, o soar de um alarme interno para que observemos melhor nossas expectativas, percebendo qual desejo nosso foi frustrado e qual o novo rumo a seguir em direção à meta.

Por exemplo:

Podemos querer que uma pessoa aja de uma forma específica. Mas, ela age de forma diferente do que gostaríamos. Nesse momento, frustrados em nossa expectativas, sentimos raiva dessa pessoa!

Mas, se estivermos conscientes de que estamos na verdade frustrados conosco, com a nossa expectativa e desejo, podemos mudar o foco e ao invés de explodir com a pessoa, pensarmos a respeito do quanto estamos projetando uma expectativa impossível, pois não podemos controlar o outro. Podemos pensar a respeito do quanto estamos querendo mudar o outro, ou perceber que não estamos enxergando essa pessoa ou que estamos, na verdade, querendo manipular uma situação. Ver a razão verdadeira da nossa frustração pode nos fazer crescer, respeitar mais os outros, nos abrir a novas ideias, preferir a verdade do que a ilusão, enfim, melhorar como pessoa!

Nesse sentido, quando percebida antes da explosão, a raiva pode ser vista como um alerta positivo, pois foi imediatamente direcionada para um foco interno e produtivo e não ao ataque.

Quando temos a vontade de controlar a qualquer custo, vemos um evento e as pessoas envolvidas como sendo nossos inimigos. Os vemos como algo a ser controlado à força ou ser destruído caso resista. Esse é o tipo de pensamento que precisa ser trabalhado em quem tem problemas em lidar com a raiva.

Não há como pretendermos controlar totalmente os eventos e muito menos as pessoas! Só podemos controlar a nós mesmos!

Não temos aqui, espaço para trabalhar todos os aspectos envolvidos e como nos libertar desses sentimentos. Mas, esses e outros sentimentos destrutivos são amplamente discutidos e trabalhados em diversos de nossos livros e cursos.

Podemos trabalhar esses sentimentos, entendê-los e também aprendermos a lidar com pessoas que costumam ter esse tipo de reação.

Vale à pena trabalhar esse sentimento que pode estar destruindo sua saúde e seus relacionamentos!

Com carinho,

Vera Calvet

Este texto e assunto fazem parte do livro – Raiva e frustração – como lidar

 

Anúncios

Uma história de estresse versus atitude

carecaHoje recebi um e-mail muito oportuno de um aluno, pois como tudo o que acontece em nossas vidas, nada é por acaso.

Eu havia terminado um texto a respeito do estresse e finalizei a ultima frase com a palavra “atitude”.

Quando abri o referido e-mail, havia um trecho com uma curta história a respeito de positivismo e atitude. Não havia informações quanto ao autor do texto, mas sem dúvida traduz a palavra atitude com maestria e vou contá-la agora para vocês:

Um homem que estava ficando completamente calvo, um dia acordou pela manhã, olhou no espelho e percebeu que tinham lhe restado apenas três fios de cabelo no alto da cabeça.

Bom – ele disse – acho que vou colocar um gel e pentear meus cabelos para trás hoje. Assim fez e teve um dia maravilhoso!

No dia seguinte, ele acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios no alto da cabeça.

Humm… – disse ele – acho que vou repartir meus cabelos no meio hoje. Assim fez, e teve um dia magnífico!

No dia seguinte ele acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo no alto da cabeça.

Bem – ele disse – hoje vou jogar meu cabelo para a direita. Assim fez, e teve um dia divertido!

No dia seguinte ele acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo no alto da cabeça.

Beleza! – exclamou – não tenho que pentear meus cabelos hoje!

E assim, teve mais um dia feliz!

ATITUDE POSITIVA É TUDO!

Claro que essa pequena história exagera situações, mas ilustra perfeitamente a forma de encarar os eventos quando se trata de uma pessoa que toma atitudes positivas diante do inevitável.

O estresse é uma consequência na vida de quem tenta controlar inutilmente o inevitável e por isso, sofre a pressão constante da frustração em sua vida.

O estresse não é propriamente uma doença, e sim, um estado do organismo quando submetido ao esforço e à tensão. Numa situação estressante, o corpo sofre reações químicas normais que preparam o organismo para enfrentar a situação. O prejuízo, entretanto, acontece quando as situações estressantes são contínuas e o organismo começa a sofrer com as constantes reações químicas que se sucedem, sem que haja tempo para a eliminação dessas substâncias e sem o tempo necessário para o descanso e recuperação física e emocional.

Exatamente por não ser uma doença propriamente, os sintomas do estresse são indefinidos e ao mesmo tempo abrangentes. Podem ir desde uma dor de cabeça, distúrbios do sono, irritabilidade, cansaço, dificuldade de concentração ou tensão muscular, a dificuldades respiratórias, dificuldade de memória, problemas digestivos, pressão alta, problemas cardíacos, e até mesmo distúrbios psíquicos como síndromes, depressão e pânico.

Entre as inúmeras causas emocionais do estresse no ambiente de trabalho e na vida pessoal, podemos citar basicamente três principais: Alto padrão de exigência pessoal, medo e frustração.

O tipo de vida que nos autoimpomos, onde pensamos ser necessário obter muito mais recursos financeiros do que realmente necessitamos, nos exige mais esforço para cumprir o padrão estabelecido e nos coloca diante de conflitos na vida profissional, onde há cada vez mais competição e menos espaço.

Esse mesmo alto padrão profissional é estabelecido também para diversos setores de nossas vidas, pois existem padrões estéticos onde a beleza física é um padrão irreal, que existe apenas nas revistas e passarelas.

Existem também inúmeros padrões para os comportamentos, pensamentos e sentimentos, onde são estabelecidos padrões para o desempenho ideal dos pais com os filhos, de filhos com os pais, padrões para as amizades, para os relacionamentos amorosos, enfim, temos padrões e caixinhas fechadas em todos os setores de nossas vidas, onde nos obrigamos a nos encaixar de uma forma ou de outra.

Tente ao menos pensar a respeito, sentir se você realmente concorda e aceita entrar e viver dentro dessas caixinhas apertadas?

Procure investigar a verdade de seus sentimentos e desejos!

É realmente impossível viver sem o carro do ano? Você trabalha no que realmente gosta e tem talento? Você não acha que pode ser amado pelo que é em vez de ser amado pela sua aparência? Quem é você? No que deixou os padrões transformarem a sua vida?

Não adianta reclamar que o patrão, a empresa, a esposa, os filhos, o marido, não conseguem te enxergar, se na verdade nem você mesmo se conhece o suficiente para mostrar a eles quem é!

Pare! Dê um tempo para se descobrir e perceber que pessoa maravilhosa você é!

Autoconhecimento. Não há como viver feliz e realizado sem ele, pois não há como você viver sem que conheça quem está realmente vivendo a vida que diz ser sua! Quem vive sua vida? Você ou um padrão, um personagem?

Estamos todos diante do enigma da grande esfinge: Decifre-me ou eu te devorarei!

E a esfinge, somos nós!

A esfinge é você!

Decifre a si mesmo, ou poderá ser devorado pelo personagem que criou sem perceber!

Você não acha que merece?

Pois saiba que só existe uma cura para o estresse: Atitude positiva e verdadeira!

Não adianta que a medicina esteja avançada e preparada para lidar com os distúrbios ligados ao estresse, não adianta se o Instituto Ráshuah trabalha também nesse sentido desde a sua fundação, pois o início e o fim de tudo isso, repousa e depende de sua atitude.

Tenha uma atitude mais positiva em relação a si e a sua vida!

Pare de exigir tanto de você e dos outros!
Procure relaxar e brincar mais com os eventos inevitáveis, a exemplo do homem de nossa história!

Aprenda a relaxar para aprender como lidar com o estresse, pois o mundo pode não mudar, mas sua atitude perante o mundo pode mudar e muito!

Fique em paz, no amor e na divina perfeição que somos todos nós!

Com muito carinho,

Vera Calvet
 
Mais textos em: http://www.rashuah.com.br/textos_de_autoconhecimento.html
Esse assunto é amplamente discutido no livro que vem acompanhado de um cd de relaxamento narrado – Estresse no trabalho e na vida pessoal – que você encontra na página:  Livros e CDs Ráshuah

.

 

Como lidar com a ansiedade

Quais são as causas da ansiedade?

A ansiedade pode estar relacionada ao hábito de pensamentos sempre voltados para o futuro e, como não temos meios de saber ainda o que nos reserva o futuro, isso pode dar medo.

Já a tristeza e a falta de vontade de agir pode estar relacionada ao hábito de pensamentos voltados para o passado e como não podemos mudar os eventos de passado, podemos ter medo de que esse passado se repita.

Portanto, é possível que o sentimento que esteja tirando suas forças e sua energia, não tenha como origem os sentimentos de ansiedade ou tristeza como pensa, e sim, o medo.

Gosto de dizer a meus alunos, que “Deus é muito criativo e não repete um dia ou um evento sequer em nossas vidas!”

Então, se pensamos que algo é a mesma coisa, a mesma situação se repetindo, não é Deus ou o destino repetindo eventos, e sim, nós que não mudamos! Nós, com certeza, estaremos insistindo no velho hábito de ver as coisas com os olhos do passado ou com a pressa e ansiedade no futuro.

O passado são só pensamentos, memórias, fotos mentais. E o futuro também é só um pensamento agora, neste momento. Portanto, passado e futuro, só existem nos pensamentos! Não estão aqui e agora no presente! Não são concretos e reais! Na verdade temos medo de algo irreal! Medo de sombras e fantasmas criados e recriados por pensamentos!

Faça um teste. Feche os olhos e deixe vir em sua mente um evento qualquer de passado. Pode ser, por exemplo, a visualização do início do seu dia.

Agora, olhe em volta, os objetos, o lugar e perceba sua disposição. Veja como tudo mudou. Aquele momento recente, passou e não existe mais! Agora, nesse momento, o seu início do dia são só pensamentos.

Teste a mesma coisa com um pensamento de futuro, depois olhe em volta e veja que o seu agora é a única coisa real. O resto, passado e futuro, são só pensamentos!

Só o agora é real! E o nosso poder de ação e de mudar o que não nos convém está no AGORA! É no agora que está seu poder e não no passado ou no futuro!

Nesse momento você não pode agir no passado e nem no futuro, pois está no agora!

Você não existe mais no passado e nem existe ainda no futuro! Você só existe AGORA!

Procure trazer o seu pensamento para o único lugar real, para o agora!

Se você deseja construir um bom futuro, tem que agir no agora e se estiver ocupando sua mente com pensamentos de futuro o tempo todo, pois além de ficar ansioso inutilmente, ficará desatento ao agora, desatento às oportunidades que estão, agora, na sua frente esperando sua ação.

Ao estar desatento ao seu momento atual, não verá as inúmeras oportunidades que tem nesse momento de agir e construir o bom futuro que deseja. E dessa forma, o bom futuro que tanto sonha, ficará cada vez mais longe, apenas no pensamento. Você não consegue construí-lo fora do agora! Precisa desistir de querer construir o seu futuro em outro lugar que não seja o agora, pois é aqui, hoje, que conseguirá isso!

Existe um truque muito bom para trazer seus pensamentos para o momento presente, e parar com a ansiedade que é: Respire

Sim. O grande truque é LEMBRAR-SE DE SUA RESPIRAÇÃO!

Quando notar que sua mente está se projetando para o futuro e causando ansiedade, respire atentamente, observando a entrada e saída do ar de seus pulmões por alguns minutos, como se tudo o que importasse na sua vida fosse apenas o ato de respirar calmamente, lentamente. Só isso!

Isso funciona porque nossa atenção não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Ou você respira concentrado nisso ou pensa!

Não dá pra fazer as duas coisas ao mesmo tempo! Faça esse teste! Tente prestar atenção total em sua respiração contando, por exemplo, até três enquanto enche os pulmões e até três enquanto esvazia e seguir uma linha de raciocínio ao mesmo tempo!

Se nossa atenção total só poderá se fixar em um ponto de cada vez, escolha respirar atentamente, quando notar que seus pensamentos estão se dirigindo para fora do presente e te causando ansiedade e medo do futuro.

Faça essa respiração consciente diversas vezes ao dia, sempre que se sentir sem energia ou angustiado.

Não deixe a energia negativa e estressante tomar conta de você!

Aja consciente de seu momento agora e de seu poder de ação e proteção!

Acredite, você os tem!

Você merece e vai conseguir ficar em paz!

Mude-se do futuro para o presente!

As coisas acontecem aqui!

Fique em paz e em harmonia! Você merece!

Com amor e muito carinho,

Vera Calvet

Mais textos em: http://www.rashuah.com.br/textos_de_autoconhecimento.html
Esse assunto é amplamente discutido no livro do Curso de Meditação Ráshuah – Módulo I, que você encontra na página:  Livros e CDs Ráshuah

.